Imprensa

21 de setembro de 2019

Carapicuíba realizou 8ª Semana da Jornada da Cultura Inclusiva

A Prefeitura de Carapicuíba, através das Secretarias de Educação e Assistência Social, em parceria com o Conselho da Pessoa com Deficiência (CMPD), realizou entre os dias 16 e 21 de setembro a 8ª Semana da Jornada da Cultura Inclusiva. A ação tem como objetivo abordar a importância da garantia dos direitos das pessoas com deficiência, a conscientização e a inclusão.

Abrindo a Semana Inclusiva, a cidade recebeu o jovem autista Nicolas Brito Sales, com a palestra “Inclusão Social e Escolar: Um sonho mais que possível”. Símbolo de desenvolvimento e superação, Nicolas apresentou os desafios enfrentados pelos portadores da síndrome e a importância da socialização.

As escolas da rede municipal de ensino também participaram. Durante toda a semana, diversas atividades lúdicas educativas foram desenvolvidas junto aos alunos. Com jogos interativos, desenhos, canto e teatro, os exercícios permitiram às crianças a vivência sobre as diferentes deficiências, trabalhando o sistema motor, auditivo e visual, explorando o respeito e a convivência no cotidiano.
 
Encerramento

Em festa aberta ao público, o encerramento da ‘8° Semana da Jornada Inclusiva, realizada na OAB Carapicuíba, contou com a presença de autoridades e especialistas, que debateram e explanaram sobre o “Empoderamento e Fortalecimento de Vínculos para famílias das Pessoas com Deficiência”. 

Jucélia Souza dos Santos, mãe da garotinha portadora de paralisia cerebral, Isabela dos Santos Gonçalves, de 9 anos, conta como está sendo importante participar da rede de apoio às pessoas com deficiência em Carapicuíba. “Desde que comecei a participar de eventos como a ‘Semana da Jornada Inclusiva’ troco experiências com famílias que também cuidam de crianças especiais, isso tem me ajudado enfrentar as dificuldades com mais otimismo e alegria. Percebo que a Isabela também está mais calma e feliz”, explica.

O encerramento do evento trouxe ainda o grupo “Arte na Lata”, que apresentou a música como ferramenta pedagógica, de entretenimento e forma de expressão para pessoas com deficiência. Outra atração foi o desfile de moda inclusiva, criado pela confecção “Angels Grace Modas”. 
 


Ver todas as notícias