Imprensa

16 de novembro de 2017

Carapicuíba prioriza assistência às mulheres vítima de violência

 
Na última semana, foi sancionado o projeto que amplia a Lei Maria da Penha, no sentido de priorizar a saúde psicológica e emocional da mulher vítima de violência doméstica, através do atendimento policial e pericial. Entre outras mudanças, as novas regras garantem o direito da vítima em ser atendida por profissionais especializados, preferencialmente do sexo feminino. Além disso, a mulher deve depor uma única vez com áudio gravado e em local reservado.
 
Para enfrentar esse tipo de violência, Carapicuíba conta com a Delegacia de Defesa da Mulher, o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e o Crevim (Centro de Referência de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres). Este último, gerido pela Prefeitura, atua no acolhimento, orientação e encaminhamento, a fim de romper o ciclo de violência e resgatar a confiança e autoestima dessas vítimas.
 
A Secretaria de Assistência Social e Cidadania realiza diversas ações para melhorar e expandir o apoio às mulheres vítimas de violência. Tal medida resultou no aumento da quantidade de atendimentos no Crevim. Foram assistidos 83 novos casos até o momento.   
 
Melhorias
 
Neste ano, o Crevim se juntou ao Creas (Centro de Referencia Especializado de Assistência Social) e passou a contar com financiamento público do Governo Federal, o que possibilitou a contratação de um advogado, assistentes sociais e pedagogos, além da oferta de cursos de capacitação para facilitar a autonomia financeira das vítimas e, também, a disponibilização de um veículo para visitas a domicílio e causas urgentes.
 
Outra medida adotada foi a promoção de palestras e reuniões para informar a população e os funcionários das redes de saúde, segurança, educação e assistência social sobre como agir e orientar, em caso de violência doméstica.
 
Segundo Aline Pissuti, psicóloga e coordenadora técnica do Crevim e Creas, essas mudanças vem possibilitando a assistência completa e atendimento acolhedor a essas mulheres, além tornar os serviços acessíveis, propiciando a procura por ajuda e orientação. “Agora o Crevim possui estrutura especializada para o enfrentamento da violência. Falar sobre o tema também é muito importante, pois, é através da informação que ocorre encorajamento para essas mulheres virem até nós”, conclui.
 
O Crevim atende de segunda à sexta-feira, das 8 às 17h na Avenida Tâmara, 283 – Centro e através do telefone (11) 4184-6025.
 
Para denúncias ligue 180 - Central de Atendimento à Mulher.


Ver todas as notícias